RSS

Marcel Petiot Serial Killers

14 fev

Marcel Petiot nasceu em 17 de janeiro de 1897, na França. Foi diagnosticado como doente mental em 1914. Foi expulso de várias escolas, e se formou em uma escola especial em Paris.

Petiot foi convocado durante a 1º Guerra Mundial em 1916. Foi ferido, intoxicado e demonstrou novos sintomas de problemas mentais. Foi enviado para uma casa de repouso, onde foi preso por roubar cobertores do exército. Foi para um hospital psiquiátrico onde foi novamente diagnosticado como doente mental, mas foi convocado de novo para o exército em 1918. Atirou no próprio pé, mas nem isso conseguiu tirar ele do exército e receber alta por invalidez.


Depois da Guerra Petiot entrou num programa de educação destinado a veteranos de guerra. Completou o ensino médio, foi estágiario de um hospital psiquiátrico e se formou em medicina em 1921.
Ao trabalhar num hospital em Villeneuve-sur-Yonne ganhou uma reputação duvidosa por fornecimento de entorpecentes e realizações de abortos clandestinos.

Foi prefeito da cidade de Delaveau, desviou dinheiro dos fundos da cidade, e foi suspenso em 1931, quando renunciou a Prefeitura.

Quando começou a 2º Guerra Mundial, Petiot viu uma chance de ouro, para ganhar dinheiro. Comprou uma casa, tornou ela a prova de som, criando uma armadilha. Foi ai que matou mais de 63 pessoas…
O médico falava para suas vítimas, a maioria Judeus que tentava fugir dos nazistas, que era membro da Resistência Francesa e conseguia fugas seguras para a Argentina, por um alto preço.
Depois de receber o dinheiro o médico aplicava uma injeção letal em suas vítimas dizendo que era uma vacina contra doenças tropicais. Deixava elas num quarto a prova de som e pedia para esperarem o efeito.
Quando o veneno fazia efeito, Petiot observava a morte de suas vítimas através de buracos feitos para isso. Depois mutilava os corpos e jogava eles num poço de cal.

Foi preso em 1944, no seu porão foram encontrados 27 corpos mutilados. Ele alegava que eram nazistas e que estava fazendo seu dever como Francês, e foi liberado. Foi preso outra vez quando um jornal acusou ele de simpatizante dos nazistas. Durante o julgamento confessou o assassinato de 63 pessoas que ele acusou de “inimigos da França”.
Ninguém acreditou, Petiot foi condenado a Morte, e morreu na Guilhotina em 1964.
Acredita-se que suas mortes passam das 63
vítimas…

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 14 de fevereiro de 2012 em ASSASSINOS

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: