RSS

GALERIA DOS INCOMPETENTES!

09 jul

FELIPE MELO NÃO FOI O ÚNICO VEJA A RELAÇÃO DE INCOMPETENTES !

Não tem jeito, o povo brasileiro sempre foi exigente com nossa Seleção, sobretudo quando ela foi desclassificada. Este ano, o jogador Felipe Melo foi um dos responsabilizados pela nossa eliminação e pelo cancelamento do sonho do hexa. Este post mostra que essa história é bem antiga. Vários outros jogadores ficaram marcados para sempre.

Barbosa
Antes de morrer, Barbosa declarou a célebre frase: “a pena máxima no Brasil é de 30 anos, mas pago há 50 por um crime que não cometi”. Barbosa referia-se ao trágico jogo em que o Brasil foi derrotado em pleno Maracanã por 2 a 1 pela seleção do Uruguai, quando o empate bastava. Ghiggia, jogador uruguaio, avançou pela lateral e chutou “mascado” e a bola foi lentamente entrando no gol. Barbosa foi culpado pelo gol e o episódio até hoje é lembrado por “Maracanazo”.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Manga
A Seleção Brasileira não ia bem na primeira fase da Copa da Inglaterra. Como forma de mudar a condição do time, o técnico Vicente Feola promoveu várias mudanças, inclusive no gol, com a entrada do reserva Manga, no lugar do bicampeão mundial, Gilmar. No entanto, o goleiro reserva acabou tendo um dia infeliz e espalmou um cruzamento fácil na cabeça do adversário – derrota brasileira por 3 a 1 para Portugal. Como o Brasil havia vencido o primeiro jogo e perdido o segundo e o terceiro, acabou voltando para casa ainda na primeira fase.
.
.
.
.
.
.
.
.

Marinho Chagas
Naquela época, lateral não apoiava tanto o ataque quanto hoje. Foi por este motivo que Marinho Chagas teve problemas. Na Copa do Mundo da Alemanha, em 1974, Marinho foi um dos destaques com suas subidas ao ataque, mas também causou um grande mau estar entre ele e o goleiro do time, o Leão. Na disputa pelo 3º lugar contra a Polônia, Marinho subiu ao ataque mais do que o normal e, segundo o goleiro, acabou sendo o principal responsável pela derrota, pois o artilheiro da Copa, Lato, aparecia livre na sua área. A derrota de 1 x 0 para os poloneses fez com que Leão se revoltasse e supostamente agredisse Marinho após no vestiário.
.
.
.
.
.
.

Toninho Cerezo
Bastava apenas um empate contra a Itália para que a Seleção chegasse às semifinais, mas acabamos tendo uma péssima surpresa. Quando o placar estava 1 x 1, Toninho Cerezo, um dos melhores jogadores do grupo acabou dando um passe displicente e entregou a bola para Paolo Rosse, que fez o gol.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Zico
Em 1986, a Seleção tentava desfazer o fracasso da Copa anterior e Zico tentava se recuperar de uma contusão grave. No jogo das quartas de final, contra a França, ele entrou poucos minutos antes de um pênalti. Totalmente sem ritmo, o meia bateu mal e o goleiro francês defendeu. O Brasil seria eliminado nas cobranças de penalidades após um magro 1 x 1 no tempo normal e na prorrogação.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Sebastião Lazaroni
Trazendo da Europa um esquema de jogo totalmente inovador, com 3 zagueiros, Lazaroni foi responsável por uma dos piores times da história. O Brasil foi derrotado pela Argentina nas oitavas de final, com direito a passe de Maradona e gol de Caniggia.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Dunga
Símbolo do time armado por Lazaroni, Dunga virou motivo de piada no Brasil. A “Era Dunga” só seria sepultada após o título de 1994, com o volante como um dos destaques da Seleção Brasileira.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Roberto Carlos
Em 2006, o Brasil levou um dos times mais talentosos da nossa história, com Kaká, Ronaldinho, Ronaldo e Adriano, mas acabou frustrando a nação. No jogo contra a França pelas quartas de final, o atacante Henry aproveitou um cruzamento na área e promoveu a eliminação do Brasil. O lance passaria despercebido, se o replay não mostrasse Roberto Carlos arrumando o meião enquanto o jogador francês avança para a área. Segundo o lateral, a obrigação de marcar Henry não era sua.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Felipe Melo
O volante brasileiro chegou à copa de 2010 sob várias críticas. Suas recentes atuações deixavam a torcida e a imprensa com receio da sua participação na competição, mas ele garantiu que seria um jogador diferente. No jogo das quartas de final, contra a Holanda, Felipe Melo foi do céu ao inferno. No primeiro tempo, deu um passe incrível para o gol de Robinho e no segundo fez um gol contra e foi expulso após pisar em um jogador holandês. Fim de Copa: 2 x 1 para os holandeses.

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 9 de julho de 2010 em Sem categoria

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: